Cirurgia íntima

TIPOS DE CIRURGIA ÍNTIMA, CONHEÇA!

Cirurgia íntima, conheça os 3 tipos:

01. Cirurgia íntima de redução do monte de vênus

02. Cirurgia íntima de redução dos grandes lábios vaginais

03. Cirurgia íntima de redução dos pequenos lábios vaginais

CONFIRA A SEGUIR, O QUE É CADA UMA DESSAS CIRURGIAS:

01 – REDUÇÃO DO MONTE DE VÊNUS

O Monte de Vênus localiza-se acima do púbis, é a região com pêlos que fica acima dos órgãos genitais conferindo um aspecto abaulado acima dos genitais, muitas vezes visível até sobre a calça, o que pode causar desconforto e constrangimento.

A redução é indicada para pacientes que apresentam aumento ou excessiva projeção desta região, com conseqüente desconforto estético.

02 – REDUÇÃO DOS GRANDES LÁBIOS VAGINAIS

A Cirurgia de Redução dos Grandes Lábios Vaginais é indicada à pacientes que apresentam aumento ou excesso de pele e flacidez dos grandes lábios vaginais. O que comumente leva a uma distorção estética da genitália feminina e constrangimento da mulher.

03 – REDUÇÃO DOS PEQUENOS LÁBIOS VAGINAIS

A cirurgia para a Redução dos Pequenos Lábios Vaginais, conhecida como Ninfoplastia, é indicada para as pacientes que apresentam hipertrofia dos pequenos lábios vaginais, ou seja, aumento do tamanho destes. Ao contrário do que muitas mulheres pensam, é muito comum pacientes que apresentam os pequenos lábios vaginais aumentados de tamanho, levando a um constrangimento com seus parceiros sexuais.

SAIBA MAIS SOBRE OS TRÊS TIPOS DE CIRURGIA DE REDUÇÃO:

01 – CIRURGIA DE REDUÇÃO DO MONTE DE VÊNUS

O que você precisa saber sobre redução do Monte de Vênus:

Técnica: Pode ser realizada através de lipoaspiração e/ou ressecção de pele, dependendo da existência apenas de gordura localizada e/ou excesso de pele.
Tipo de anestesia: A cirurgia é realizada com anestesia local e sedação ou peridural. A cirurgia demora cerca de 1 á 2 horas.
Tempo de internação: a alta é no mesmo dia, é um procedimento ambulatorial.
Risco: todo procedimento cirúrgico tem riscos, serão esclarecidos, não deixe de questioná-los
A participação da família e essencial, em todos os momentos.

Pré-operatório

1. Exames complementares especificados.
2. Fotografia da região é importante para a avaliação, programação cirúrgica e documentação.
3. Compareça no dia e horário combinados, de preferência acompanhada, principalmente se a cirurgia for ambulatorial.
4. Não leve jóias e outros objetos de valor.
5. Não pinte as unhas.
6. Qualquer intercorrência como doenças (gripe, febre, infecção) ou outros motivos que acarretem a suspensão da cirurgia, avise com antecedência.
7. Pode ser feito uso da Arnica para evitar equimoses (roxos). Este deve ser iniciado de uma semana a dez dias antes da cirurgia.
8. Consulta com Anestesiologista.

Cuidados

1. Jejum de no mínimo 6 horas antes do início da cirurgia, para líquidos sem proteína e de 8 horas para sólidos e líquidos com proteína.
2. Medicação para hipertensão e outras doenças deve ser informada para posterior orientação.
3. Não tome medicação que contenha ácido acetil salicílico (ex.: AAS, Rhonal , Buferin , Aspirina), uma semana antes e uma semana após a cirurgia porque aumenta o sangramento.
4. Medicação para emagrecimento deve ser suspensa 15 dias antes da cirurgia.
5. Não fume 15 dias antes e 15 dias após a cirurgia.
* Seria uma ótima oportunidade para parar de fumar, não achas?

Pós-operatório

Dor: é mínima, bastando um analgésico nos primeiros dias.
Curativos: é feito logo após a cirurgia deve permanecer 24 horas.
Banho: evitar banhos muito quentes.
Alimentação: normal.
Evitar relações sexuais por pelo menos 14 dias.
Equimoses (roxos): pode ficar dependendo de características pessoais.
Edemas (inchaço): há inchaço nas primeiras 48 horas. Alguns pacientes apresentam, já no quarto ou quinto dia pós-cirurgico , um aspecto bastante normal, outros, atingem este resultado após o sétimo dia.
Remoção de pontos: a retirada dos pontos dependerá do fio utilizado.
Drenagem linfática : importante para acelerar a recuperação e melhorar cicatrização.
Sensibilidade: normalmente, ocorre uma diminuição da sensibilidade da região.
A recuperação é gradativa.
Sensibilidade: pode existir pequena área insensível , que retorna após 1 mês.
Seguir a prescrição médica e comparecer aos horários para retorno.

02 – CIRURGIA ÍNTIMA DE REDUÇÃO DOS GRANDES LÁBIOS VAGINAIS

O que você precisa saber sobre a redução dos Grandes Lábios Vaginais

Técnica: a técnica consiste na ressecção do tecido em excesso (mucosa labial).
Tipo de anestesia: A cirurgia é realizada com anestesia local e sedação ou peridural. A cirurgia demora cerca de 1 á 2 horas.
Tempo de internação: a alta é no mesmo dia, é um procedimento ambulatorial.
Risco: todo procedimento cirúrgico tem riscos, serão esclarecidos, não deixe de questioná-los!

Pré-operatório

1. Exames complementares especificados.
2. Fotografia da região é importante para a avaliação, programação cirúrgica e documentação.
3. Compareça no dia e horário combinados, de preferência acompanhada, principalmente se a cirurgia for ambulatorial.
4. Não leve jóias e outros objetos de valor.
5. Não pinte as unhas.
6. Qualquer intercorrência como doenças (gripe, febre, infecção) ou outros motivos que acarretem a suspensão da cirurgia, avise com antecedência.
7. Pode ser feito uso da Arnica para evitar equimoses (roxos). Este deve ser iniciado de uma semana a dez dias antes da cirurgia.
8. Consulta com Anestesiologista.

Cuidados

1. Jejum de no mínimo 6 horas antes do início da cirurgia, para líquidos sem proteína e de 8 horas para sólidos e líquidos com proteína.
2. Medicação para hipertensão e outras doenças deve ser informada para posterior orientação.
3. Não tome medicação que contenha ácido acetil salicílico (ex.: AAS, Rhonal , Buferin , Aspirina), uma semana antes e uma semana após a cirurgia porque aumenta o sangramento.
4.Medicação para emagrecimento deve ser suspensa 15 dias antes da cirurgia.
5.Não fume 15 dias antes e 15 dias após a cirurgia.

Pós-operatório

Dor: É mínima, bastando um analgésico nos primeiros dias.
Curativos: orientamos a realizar higiene freqüentemente.
Banho: evitar banhos muito quentes.
Evitar relações sexuais por pelo menos 14 dias.
Equimoses (roxos): pode ficar dependendo de características pessoais.
Edemas (inchaço): há inchaço nas primeiras 48 horas. Alguns pacientes apresentam, já no quarto ou quinto dia pós-cirurgico, um aspecto bastante normal, outros, atingem este resultado após o sétimo dia.
Remoção de pontos: normalmente os pontos caem sozinhos.
Drenagem linfática: importante para acelerar a recuperação e melhorar cicatrização.
Sensibilidade: pode existir pequena área insensível, que retorna após 1 mês.
Alimentação: normal.
Seguir a prescrição médica e comparecer aos horários para retorno.

03 – CIRURGIA ÍNTIMA DE REDUÇÃO DOS PEQUENOS LÁBIOS VAGINAIS

O que você precisa saber sobre redução dos Pequenos Lábios Vaginais

Técnica: a técnica consiste na ressecção do tecido em excesso (mucosa labial).
Tipo de anestesia: A cirurgia é realizada com anestesia local e sedação ou peridural. A cirurgia demora cerca de 1 á 2 horas.
Tempo de internação: a alta é no mesmo dia, é um procedimento ambulatorial.
Risco: todo procedimento cirúrgico tem riscos, serão esclarecidos, não deixe de questioná-los!

PRÉ-OPERATÓRIO

Exames complementares especificados.
Fotografia da região é importante para a avaliação, programação cirúrgica e documentação.
Compareça no dia e horário combinados, de preferência acompanhada, principalmente se a cirurgia for ambulatorial.
Não leve jóias e outros objetos de valor.
Não pinte as unhas.
Qualquer intercorrência como doenças (gripe, febre, infecção) ou outros motivos que acarretem a suspensão da cirurgia, avise com antecedência.
Pode ser feito uso da Arnica para evitar equimoses (roxos). Este deve ser iniciado de uma semana a dez dias antes da cirurgia.
Consulta com Anestesiologista.

CUIDADOS

Jejum de no mínimo 6 horas antes do início da cirurgia, para líquidos sem proteína e de 8 horas para sólidos e líquidos com proteína.
Medicação para hipertensão e outras doenças deve ser informada para posterior orientação.
Não tome medicação que contenha ácido acetil salicílico (ex.: AAS, Rhonal , Buferin , Aspirina), uma semana antes e uma semana após a cirurgia porque aumenta o sangramento.
Medicação para emagrecimento deve ser suspensa 15 dias antes da cirurgia.
Não fume 15 dias antes e 15 dias após a cirurgia.

PÓS-OPERATÓRIO

Dor: É mínima, bastando um analgésico nos primeiros dias.
Curativos: orientamos a realizar higiene freqüentemente.
Banho: evitar banhos muito quentes.
Evitar relações sexuais por pelo menos 14 dias.
Equimoses (roxos): pode ficar dependendo de características pessoais.
Edemas (inchaço): há inchaço nas primeiras 48 horas. Alguns pacientes apresentam, já no quarto ou quinto dia pós-cirurgico, um aspecto bastante normal, outros, atingem este resultado após o sétimo dia.
Remoção de pontos: normalmente os pontos caem sozinhos.
Drenagem linfática: importante para acelerar a recuperação e melhorar cicatrização.
Sensibilidade: pode existir pequena área insensível, que retorna após 1 mês.
Alimentação: normal.
Seguir a prescrição médica e comparecer aos horários para retorno.
Complicações (Comuns entre as três Cirurgias de Redução)

Um preparo pré-operatório adequado é fundamental para evitá-las. É importante notar que todas as complicações são mais comuns em pacientes fumantes, sendo indispensável parar de fumar por pelo menos 15 dias antes da cirurgia.

Gostaríamos de esclarecer que podem ocorrer complicações, seqüelas e decorrências próprias desta, tais como persistência de cicatrizes aparentes, hipertróficas ou queloideanas (aumento de volume da cicatriz), discromias (mudança de cor), longas e alargadas, assimetrias (diferença entre os dois lados), deiscência de sutura (abertura de pontos), necroses (morte tecidual) localizadas, hematomas (acumulo de sangue), sangramento, seroma (coleção de líquido), reações inflamatórias, alérgicas e infecciosas, ausência ou exarcerbação de sensibilidade, excessos dermo-mucosos, com necessidade de retoques, tromboses e embolias (coágulos pelo sangue), bem como suas seqüelas, entre outras.

Será que isto vai desaparecer

Toda cirurgia envolve um período próprio de recuperação. Dê tempo ao tempo, que seu organismo se encarregará de dissipar pequenos transtornos que infalivelmente chamarão a atenção de alguma pessoa que não se furtará à observação: “Será que isto vai desaparecer?” Não deixe de nos transmitir qualquer tipo de preocupação. Daremos os esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade.

Resultado final

Inicialmente, durante os primeiros quatro meses pós-cirúrgicos, a região apresenta-se um pouco edemaciada (inchada), mas com o passar do tempo, vai havendo uma acomodação gradativa de tecidos orgânicos. A partir do quarto mês acontece nova sessão fotográfica para comparação do pré e pós-operatório (antes e depois)