Abdominoplastia

Muitas vezes, os exercícios físicos e as dietas não são suficientes para eliminar o excesso de pele e de gordura do abdome. Estes fatores podem estar ligados a distúrbios digestivos, hormonais ou genéticos. A perda ou ganho de muito peso, o envelhecimento ou pós gestação, podem ser os motivos que levam as pessoas a buscarem pela abdominoplastia.

Vale lembrar que a cirurgia é um procedimento altamente individualizado. A pessoa deve fazê-lo para satisfazer seus próprios desejos, sem ter como propósito atender vontades de outros ou se adaptar a algum padrão de imagem estabelecida.

O QUE É A ABDOMINOPLASTIA?

A abdominoplastia é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados atualmente no Brasil. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (ISAPS). A cirurgia tem como objetivo retirar o excesso de pele e gordura abaixo do umbigo e reduzir o volume abdominal, além de tratar da musculatura abdominal, quando necessária. Em casos em que também se deseja retirar a gordura localizada no abdome, a lipoaspiração pode ser associada ao procedimento, como forma de melhorar o contorno corporal.

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABDOMINOPLASTIA:

ANESTESIA

Normalmente é utilizada a anestesia peridural, ou seja, um tipo de anestesia que bloqueia a dor e as sensações de apenas uma região do corpo.

CICATRIZ

A cicatriz fica no mesmo local da cicatriz de cesárea e varia em comprimento conforme o volume do abdome. Existe uma tendência de acompanhar a marca do biquíni.

GRAVIDEZ

A cirurgia só pode ser realizada seis meses após o final da amamentação, quando os tecidos orgânicos já retornaram ao normal. Recomenda-se o uso de um método contraceptivo eficaz, já que uma gravidez posterior pode comprometer o que já foi obtido com o procedimento.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

A abdominoplastia não pode substituir os exercícios físicos, a reeducação alimentar ou as dietas. Muito menos deve ser considerada como tratamento contra a obesidade.