Peeling

A presença de manchas, rugas e cicatrizes na pele pode ser consequência de acne, exposição ao sol ou idade. O peeling químico é recomendado para pessoas que desejam ter uma pele com aparência mais suave e jovem.

TIPOS DE PEELING

O peeling químico é um procedimento estético no qual é feita a aplicação de uma solução química para suavizar a textura da pele, removendo as camadas exteriores danificadas. O procedimento esfolia a cútis (pele), sendo assim, ameniza as marcas de expressão do tempo, manchas, sardas ou algum tipo de lesão causada por doenças. Além do rosto, pode ser usado em outras áreas, como mãos e pescoço.

PEELING QUÍMICO SUPERFICIAL

Remove a camada mais externa da pele (epiderme), com uma leve esfoliação, que resulta num brilho saudável. Age sob as rugas superficiais e ressecamento da pele.

PEELING QUÍMICO MÉDIO

Retira as células da camada externa da pele (epiderme) e também a área superior da camada média (derme). Em alguns casos, é recomendado para o tratamento de rugas mais aprofundadas.

PEELING QUÍMICO PROFUNDO

A substância utilizada penetra na camada inferior da derme. É indicado para pessoas que tenham a pele danificada pela exposição ao sol, idade, rugas mais aprofundadas, tonalidade desigual, acnes, acidentes com produtos químicos, cicatrizes ou até mesmo lesões pré-cancerígenas.

TÉCNICA DE APLICAÇÃO

Antes do peeling, a pele deve ser submetida a uma esfoliação prévia – realizada em casa pelo paciente. Costuma-se ser usado um despigmentante (clareador da pele), a fim de evitar pigmentações indesejáveis. Esse preparo pode levar em torno de duas a quatro semanas.

É importante que o paciente entenda que o que se espera obter com a aplicação do peeling químico pode ser constatado a partir da segunda sessão do tratamento. Neste período, é aconselhado o uso de filtro solar com fator de proteção solar indicado para cada pele, além de um bom creme hidratante facial, uma vez que a pele tende a ficar mais sensível, avermelhada e com tendência a descamar.